19 maio, 2017

A vida de uma mente turbulenta, dentro de um planeta estranho


Esse é um daqueles poemas que eu guardava para mim, e não deixava ninguém ver! Mas hoje pensando, acho que ele pode ajudar alguém que vá ler ele. É por palavras que expressamos nossos sentimentos e demonstramos tudo o que vivemos, e é por ela que conseguimos viver e aprender mais sobre o mundo e sobre nós mesmo. É estranho escrever um poema sobre si, nunca gostei da ideia! Mas quando terminei de escrever este, e reli em alta voz, consegui perceber tanta coisa da minha vida que eu estava deixando de lado, e como o estudo de si mesmo faz bem.

Espero que este poema te ajude de alguma forma, porque ele sai do meu coração e parte em direção ao seu.


A vida de uma mente turbulenta, dentro de um planeta estranho


Não é como planejamos,
Nunca será;
A vida prega peças,
E nos basta aceitar.

Não adiantou ser o melhor,
O esforço parece em vão,
Quem diria que não conseguiríamos, 
E agora estamos sem chão.

É difícil aceitar,
Ainda mais difícil conviver,
Tanta estima em cima,
De alguém que só queria viver.

Mas nunca foi fácil,
Nasci sofrendo,
Uma infância maravilhosa,
Uma pré-adolescência com medo.

Com medo da verdade,
Da reação!
Com medo dos outros.
O que eles pensarão?

Uma adolescência quase completa,
A inteligência iluminava,
Mas o louco tem tudo, 
E o sábio tem nada.

É a vida, 
O que posso fazer?
Morrer, nascer de novo?
Não! Tô cansado de aprender!

Espero que seja uma história,
Que no final alcançarei,
O sábio com sua inteligência,
E o louco, agora, com ninguém.

Pode ser uma fase, 
Que está difícil de passar,
Prefiro ter essa mente turbulenta, 
Do que de burrice e ignorância me afogar.

As vezes é necessário sentir isso,
De que nada valeu.
Por que quanto tudo der certo,
Terei estudado a melhor coisa, o meu eu!

Poema por Edson Lopes 

Foto por Marietta Varga

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Totalmente Jovem | Blog sobre livros, séries, músicas e entretenimento © 2014-, Todos os direitos reservados. Design por Sadaf F K / Edson Lopes