05 dezembro, 2016

Oi


Oi, olha que interferência do destino, nós se encontrarmos aqui novamente, no mesmo lugar que se conhecemos a três anos atrás. Parece que está acontecendo a mesma coisa, nossos sorrisos conversando, nossos olhos admirando, nossas vozes entrando em harmonia. Ah... como eu queria que isso acontecesse todo o dia. É estranho como eu te amo, e isso é extremamente difícil de dizer. Depois desses anos eu nunca pensei que isso fosse acontecer, mas a cada dia que passava eu só pensava em você, Você é a fresta de luz que eu tanto preciso no quarto escuro, você é a flecha certeira que acerta a gota d'água, você é o raio brilhante que ilumina a minha noite tempestuosa. Você, resumindo, é tudo para mim.

Será que você ainda vai continuar me amando, ou vai escolher ir embora. Esse tempo que a gente deu, serviu para algo? A cicatriz do amor passado já fechou? Será que essa cicatriz é aquela que a gente conta a história de como ela foi feita, com gosto? Será que o nosso amor é tudo isso que eu e você imaginamos? Será que o tempo mudou algo, ou é a mesma coisa de sempre? São tantas perguntas, para rasas respostas, que eu carrego no peito, esperando a hora de solta-las. 

Queria ter você aqui perto, te olhar todo o dia de manhã, te acariciar quando eu quisesse, e mostrar a toda hora o quanto eu gosto de você. Eu só queria demonstrar todo o amor que eu tenho, e queria que você soubesse disso, e se pudesse, tornar o amor recíproco. Seus olhos são a droga que eu sou viciado. Se pudesse, compactaria seu cheiro até virar líquido, e assim, conseguiria injeta-lo nas minhas veias, e transformar eu em nós. Mas tudo isso depende de você.

Se tu não quiser, eu não me atrevo a perguntar novamente. Mas o coração eu não domo, e eu sempre vou te amar. Se você dizer não, eu me retiro, e esqueço, não pergunto, não te enlouqueço. Mas se tu quiser, vou te tornar o melhor, vou te fazer feliz, vou te comprar vinho e com ele nós vamos ficar bêbados, e assim, descobriremos a sinceridade do nosso amor. Se você quiser, eu vou pular de alegria, vou acabar com a minha covardia, e te encher de amor, até o dia do adeus. E se tu falar sim, eu vou estar neste momento, e a última coisa que eu falarei no seu momento relento, vai ser um oi, pois com toda a certeza, com todo o amor, nós nos encontraremos depois, e isso será como se eu te encontrasse de novo, e te visse pela primeira vez, e todo aquele amor que senti, e ainda sinto, voltará e te deixará feliz, para que sua partida seja bela, e que nada te atrapalhe, somente o amor te agarre, e te segure, até o ponto mais claro do céu.

Texto por Edson Lopes

Foto/Imagem por Caroline Perez

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Totalmente Jovem | Blog sobre livros, séries, músicas e entretenimento © 2014-, Todos os direitos reservados. Design por Sadaf F K / Edson Lopes