31 agosto, 2016

Mi pera mente


Conto uma história, que por poucos é ouvida. Tento, explico, comento, interpreto, mas o que posso fazer se a mente e o poder de atenção é de cada um, e não tenho como obrigar. A história que eu contaria poderia ser interpretada de várias formas. Para alguns vitória, para outros derrota e para poucos o novo começo de uma batalha. O cenário é tumultuado, parece uma guerra, votos são como balas, argumentos como coletes; alguns fortes de mais e outros com que um tiro caem e não servem para nada. Vejo gente falando mentira, inventando coisas ruins, vejo outras lutando pela justiça, pelo juízo das mentes. A maioria não sabe o que está prestes a fazer, a minoria sabe que a história um dia vai rever, cobrar, e obrigar a maioria a se desculpar.

Essa história poderia ser um poema, poderia ter rimas, mas porque ter rima se o que nós mais precisamos ter nós não temos? O que seria o ar dos nossos pulmões no meio dessa fumaça tão densa e escura que envolve cada um que quer algo bom? Poderia ser a paz, a justiça, democracia e outras coisas. Como posso traduzir um momento tão grave que vai rabiscar linhas em livros e no futuro as mesmas serão relidas. Tradução literal? Tradução pela minha mente? Mi pera mente, não é uma tradução correta, fica bem esquisito, mas assim que deve ser, porque assim que foi! Foi algo esquisito, algo sem nada de qualidades, foi tudo isso e muito mais. Foi angústia, foi ansiedade e agora é saudade. Saudade do que? Justiça, de novo.

O ponto maior agora está corrompido, está sujo, está camuflado na face de algo que está acabado. Quem me dera voltar no tempo e avisar que tudo isso ia acontecer... "Olhe para quem você deposita confiança", "Cuidado com o mal que está crescendo junto a ti". Quem me dera ter uma máquina para fazer tudo isso! Quem me dera...

Solenemente, agora eu espero e luto para conseguir. Conseguir o quê? Justiça! Por quê? Por que isso não existe! E se existisse? Não estaríamos aqui! E se fosse para tudo isso acontecer? Que isso seja para um bem maior, para que se reerga e volte com toda a sua força e glória! Bom, e se isso não acontecer? Então lamento, mas estamos perdidos...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Totalmente Jovem © 2014-, Todos os direitos reservados. Design por Sadaf F K / Edson Lopes